20 de fevereiro de 2010

Fórmula 1 2010 - Q & A Com Heikki Kovalainen

O novo Lotus T127 arrancou para um início encorajador quando completou 76 voltas com piloto de teste Fairuz Fauzy nesta quarta-feira, mas o primeiro teste de Heikki Kovalainen no carro hoje foi afetado pela chuva, uma falha hidráulica e, eventualmente e um acidente.

Apesar disso, o finlandês disse que aprendeu o suficiente para sentir confiante quanto às perspectivas a longo prazo da Lotus. AUTOSPORT estava lá para ouvir a sua análise.

Q. O que aconteceu de errado hoje?
Heikki Kovalainen: Foi apenas meu erro. Sai na curva 2 para 3, fui um pouco agressivo demais . Perdi a traseira, corrigi, fui para a brita, e depois de frente para a parede. Que danificou o bico. Meu erro.

Q. O carro estava se comportando bem? Parece que você girou na volta anterior, bem como ...
HK: Sim, tudo estava bem. Foi apenas um erro meu. Eu entrei agressivo demais.

Q: Seus pneus intermediários estavam desgastados?
HK: Sim, eles estavam um pouco desgastados, mas a pista estava secando e eles estavam começando a ficar melhor. Eu estava acelerando um pouco mais e mais. Não houve problema.

Q : Qual a sua opinião sobre o potencial do carro?
HK: Eu acho que o potencial está lá. Meu sentimento inicial desta manhã foi bom. O sentimento é que nas curvas de baixa velocidade, o carro está se comportando muito bem. E devido a falta de aderência, em alta velocidade, acho que perdemos bastante tempo, em parte por causa dos problemas dos acertos. O carro é um pouco pesado ainda e precisamos torná-lo mais leve, então podemos equilibrar todas essas coisas.
Mas eu acho que não, fundamentalmente, ele está muito bem. Eu realmente gostei de conduzi-lo desde o início. Apesar do problema hidráulico que tínhamos esta manhã, quando estava tudo indo bem.

Q. Suas duas equipes anteriores estavam muito bem estabelecidas, o que é a sua impressão do trabalho com uma nova equipe?
HK: A única diferença é o tamanho da equipe e a quantidade de pessoas. De fato, a operação e a mesma que qualquer outra equipe. Os mecânicos e engenheiros trabalham de uma maneira muito semelhante. Nós apenas não tivemos tempo suficiente para se preparar adequadamente. Não temos peças de reposição suficientes para se preparar para este tipo de acidente. Mas realmente não é muito diferente em tudo, além da dimensão da equipa, porque somos uma equipe pequena. Mas eu sinto que nós podemos fazer todas as coisas que são necessárias. Em um pouco de tempo eu penso que vamos ser capazes de melhorar o carro mais rápido e obter o resultado.

Q. Você pode ter uma influência maior porque a equipe é menor?
HK: Não, eu acho que é o mesmo. As equipes maiores provavelmente pode reagir mais rapidamente e fazer as coisas em menos tempo do que nós. Mas não na equipe anterior eu tive uma boa comunicação e eu tenho uma boa comunicação com as pessoas aqui, por isso não é muito diferente.

Q: Quem é o seu engenheiro de corrida?
HK: Juan Pablo Ramirez - o engenheiro de corrida do Timo Glock ano passado. Me dou muito bem com ele, eu acho que ele é realmente um cara bacana. Na verdade eu acho que a equipe de engenharia é toda bacana. A equipe de projetistas também. Temos todas as pessoas que precisamos. Só demorará um pouco de tempo para termos todos trabalhando juntos, para obter o design do edifício do time. Mas então, vamos começar a ver melhorias. Mas até agora estou bastante satisfeito.

Q: Qual é o seu programa para amanhã?
HK: 200 voltas! Eu estava tentando fazer hoje 100 e não 30, assim 170 voltas no mínimo amanhã ...

Q: Você ficou surpreso com a confiabilidade do carro ontem?
HK: Yeah. Acho que ontem foi muito melhor do que estávamos prevendo. Para ser honesto, Mike [Gascoyne] sempre disse que o carro deve ser razoavelmente sólido, deve ser muito forte, talvez não o mais rápido inicialmente, mas ele deve ser bom. Você sempre tem algumas dúvidas. Fomos fazer um shakedown no Reino Unido e tivemos alguns pequenos problemas lá, então você nunca sabe como vai ser. Mas ontem foi realmente muito bom. Nós não tivemos nenhum grande problema. Mesmo o problema que tivemos hoje não foi realmente um problema físico, foi apenas a instalação do sistema hidráulico que não estava correta, por isso, uma vez que temos que correr, este funciona como deveria fazer.

Q. Seu problema esta manhã estava relacionado com a direção hidráulica?
HK: Sim - acrescentámos hoje a direção hidraúlica e foi e o problema foio relacionado a isso. Basicamente, o sistema tinha ar dentro dele, que foi o problema, por isso houve um vazamento no sistema, e houve um pouco de ar preso na direção hidráulica. Uma vez que tiramos o ar, trabalhamos na garagem,uma vez fixado o problema da direção voltamos a pista, e tivemos problemas na traseira do carro tivemos que parar. Então, isso foi apenas um problema a instalação.

Q: Você está fazendo algum trabalho significativo ainda ou apenas conhecendo mil coisas sobre o carro?
HK: Claro que a quilometragem é a única coisa importante, mas acho que já tenho feito algumas coisas sobre o mapeamento do motor, os mapeamentos do acelerador, os diffs, realmente toda a eletrônica do mesmo. Eles não eram como eu acho que eles deveriam ser, e acho que já melhorou hoje. Então eu acho que temos algo de hoje e espero que amanhã possamos seguir com isso. A coisa mais importante é fazer milhas de Kms porque é assim que podemos resolver os problemas que, caso contrário entraremos prontos no Bahrain. Esse é o nosso principal objetivo, independentemente do tempo.


Q: Você tinha o melhor motor com a McLaren-Mercedes no ano passado, Qual é a sua impressão da Cosworth?
HK: É muito positivo. Na verdade eu acho que em termos de potência pura eu penso que não é longe. Provavelmente não é tão bom, mas o sentimento é bastante positivo. E de fato a dirigibilidade muito positiva, bem como em relação ao Mercedes. O poder está nas áreas ligeiramente diferentes, mas eu acho que é uma das peças mais fortes do carro no momento e acho que fiz um bom trabalho. Vamos ver com a degradação e como ele será. O Mercedes foi obviamente muito bom ao longo de dois fins de semana de corrida e me senti muito firme, por isso vamos ver como isso vai funcionar. Mas eu só fiz 30 voltas por isso é difícil dizer.

Q: Como você se sente sendo o unico finlandês na Fórmula 1 este ano?
HK: Não é diferente para mim. Esperançosamente nós podemos conseguir mais algumas pessoas aqui em breve, mas eu não sinto nada de estranho. Eu apenas tento fazer o meu trabalho no máximo e ajudar a equipe.

Q. Você está desapontado por não ter feito o Rali do Ártico?
HK: Sim, eu poderia ter feito isso. Tive algumas ofertas, alguns carros com os quais eu poderia ter pilotado lá. Alguns carros realmente competitivos. Mas ela já teria precisado de muito tempo. Ir lá e fazer os reconhecimentos e, em seguida, o rali, senti que não teria sido suficiente. Eu precisava de uma semana, eu queria fazer um bom teste. Há duas semanas, nesta fase, com uma nova equipe já teria sido errado. Todo mundo trabalhando no Reino Unido e eu duas semanas de ralis em casa, não era justo. Então eu decidi não fazê-lo. Talvez no futuro - vamos ver no verão ou no inverno seguinte quais são as possibilidades. Mas se e quando eu faço isso, eu quero fazê-lo corretamente e ver o que posso conseguir dele.

Q. Você estava assistindo Kimi Raikkonen no World Rally Championship?
HK: Absolutamente. Eu assisti todas as especiais.

Q. Você te, contato com ele?
HK: Não recentemente, mas eu tento seguir o que ele está fazendo. Acho que ele vai ser bom lá. Acho que os rallies que ele fez até agora tem sido realmente difícil rallies contra pilotos realmente bons em ambas as superfícies, e acho que dado um pouco de tempo, já nesta temporada, ele poderá ser bastante competitivo e obter alguns bons resultados. Ele tem uma boa equipe, um bom carro e um bom navegador, por isso, uma vez que tudo começa a trabalhar, eu acho que vai ser bom.

Q: Você foi um piloto da Renault jovem quando Jarno Trulli estava correndo . Como é seu relacionamento com ele?
HK: Eu acho que nós trabalhamos muito bem até agora. A experiência que eu tive é muito boa. Eu me sinto confortável com ele, estamos falando no mesmo nível, nós sabemos o que estamos falando e acho que pode empurrar a equipe para a frente. Além disso, ele é rápido, ele é muito competitivo, tenho certeza de que pode correr e empurrar um ao outro, e isso é bom também - há sempre alguém para mantê-lo acordado, para que você não possa relaxar em qualquer ponto. Eu acho que é um forte alinhamento e, potencialmente, uma equipe muito boa. Tenho certeza que podemos fazer um bom trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário